sexta-feira, 17 de junho de 2011

VITTÓRIO MOSCON – CONDECORADO PELO GOVERNO ITALIANO COMO HEROI DA PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL

Por Mauro Luiz Senra Fernandes



Em 1971, o imigrante italiano radicado em Além Paraíba, o Sr, Vittório Moscon foi agraciado pelo Governo Italiano com a condecoração da “Ordem de Vitório Vêneto”, no grau de “Cavalheiro” e as medalhas de Ouro e Bronze pelos serviços de guerra prestados na Primeira Grande Guerra ao Exército Italiano.
O diploma e as medalhas foram entregues pela Embaixada Italiana no Rio de janeiro e, em comemoração, foi reunida toda a família Moscon.
Vittório Moscon nasceu em Treviso (Vêneto), norte da Itália, em 7 de dezembro de 1894. Era filho de Giuseppe Moscon e Luigia Feletti Moscon e lá trabalhou na Fabrica de Papel Cartiera Reali até a época de servir o exército.
Quando estava terminando esse período, iniciava-se a Primeira Guerra Mundial – 1914/1918 – e novamente foi convocado para as fileiras do Exército Italiano, servindo na infantaria de 25 de março de 1915 até 8 de janeiro de 1919. Participou de várias batalhas, tendo numa delas ficado ferido e, em outra sido feito prisioneiro, ocasião em que perambulou pela Europa Central como trabalhador prisioneiro.
Terminando a guerra, voltou a trabalhar na indústria papeleira italiana, época em que realmente definiu a profissão que abraçaria e que permitiu que se candidatasse no Consulado a uma vaga na emigração para o exterior, como técnico. Trabalhou em diversas fábricas de papel em máquinas contínuas de 1919 até 15 de setembro de 1924, quando emigrou para o Brasil.
Casou-se ainda na Itália com Amabile Girolami Moscon, filha de Gino Girolami e Juseppinna Sacali, em 7 de março de 1924.
Chegando ao Brasil, foi para a cidade fluminense de Mendes, onde trabalhou até 1930, ocasião em que se transferiu para Além Paraíba. Em Mendes nasceram os filhos: Ormes Moscon, engenheiro da “Companhia Siderúrgica Nacional”, foi casado com Afife Verdini Moscon; e Otelina Moscon Puntel, foi casada com o industrial Sócrates Ricardo Puntel.
A família se adaptou bem em terras alemparaibanas, vivendo um período de muita felicidade, sendo aumentada com a chegada do terceiro filho: Antônio Oswaldo Moscon engenheiro na cidade de Salvador, Bahia, casado com Marinice Braga Moscon.
A partir de 1933, Vittório Moscon recebeu diversos convites para ir trabalhar no exterior: México, Uruguai e, principalmente, para a Argentina. Porém, uma oferta de um contrato mais generoso por parte do então presidente da S.A. Fabrica de Papel Santa Maria, o também italiano José Mercadante, evitou que mais um deslocamento acontecesse. Em seu lugar, foi para a Argentina o primo Arturo Moscon, que mais tarde levou para lá sua mãe e o irmão Pedro, tendo ficado na Itália o irmão Ricardo.
A Fábrica de Papel Santa Maria prosperava, melhorando a qualidade do produto industrializado e também a quantidade produzida pela compra da segunda máquina em 1937. Nasceu, então, a quarta filha do casal: a Professora Luigia Joseppina Moscon Ribeiro, que foi casada com Nilson Joaquim Riberio.
Em 1940, a fabrica monta a sua máquina Nº 3, aumentando ainda mais a produção e proporcionando mais desenvolvimento. Neste ano nasceu sua última filha, Maria José Moscon Faria, casada com o desembargador Dr. Francisco Eugênio Rezende de Faria.
Por lei da Câmara Municipal de Além Paraíba, Vittório Moscon recebeu o título de cidadão alemparaibano, o que aumentou ainda mais o orgulho de ter escolhido Além Paraíba como sua segunda pátria e aqui permanecesse até a sua morte, no dia 25 de abril de 1983.
Amabile Girolami Moscon

3 comentários:

  1. Olá Mauro,
    mais uma vez te parabenizo, que resgate! Sr. Vittório Moscon, mais conhecido como Sr. Moscon. Quanta História eu ouvi contada por ele e as vezes traduzidas por sua esposa Dona Amabile, devido ao seu sotaque e ainda crianças ficavamos encantados com suas histórias. Avó de nossos amigos Nilsinho e Luciano. Agora Engenheiros Nilson e Engenheiro Luciano Moscon Ribeiro, pessoas amigas e amadas.

    ResponderExcluir
  2. olá,
    é isso ai a família Moscon é gente fina, minha mãe chamava se Anilda Moscon filha de Fioravante Moscon, gostaria de saber se é possivel através do grau de parentesco, conseguir documentos de sidadânia Italiana me nome é Bento Stoco, filho de Ilário Primassoni Stoco e Anilda Moscon Stoco, por favor aguardo deferimento, bentocapixaba_2100@hotmail.com

    ResponderExcluir
  3. Ah que legal! A familia do meu namorado pertence a FAMILIA MOSCON. Meu sogro e meu namorado tem dupla cidadania (Brasil e Italia)

    Grande parte dessa parte dos Moscon foram para uma colonia italiana no Espirito Santo e ate hoje moram la...

    ResponderExcluir