sexta-feira, 5 de outubro de 2012

ISABEL HERDY ALVES

Por Mauro Luiz Senra Fernandes




Sua existência modelar de virtudes encontrava correspondência em seu saudoso esposo Antônio Joaquim Alves, e ambos foram cristãos, almas irmãs no compreender e no sentir.

Aos seus educaram na religião e no ensinamento da caridade, e o seu lar era um tranquilo lar.

Nos últimos dias de sua vida, Isabel Herdy Alves teve formosas visões: Cristo Redentor aproximou-se dela, olhando com muita doçura, e São José lhe abriu os braços, testemunhando a recompensa para o seu espírito. Também seu querido pai lhe apareceu, confortando-a muito. Ela não se orgulhava dessas visões, e sua alegria era imensa, confessava humildemente não merecer tanta bondade de Deus, rezando nesses momentos com grande contrição. 

Isabel Herdy nasceu em 10 de agosto de 1857, em Porto Velho do Cunha, morou no Bairro da Saúde, na rua que hoje leva o seu nome e faleceu em 23 de fevereiro de 1936, no Rio de Janeiro, no Hotel Avenida, onde há muito morava, cercada sempre do afeto de sua filha Olivia e de seu genro Cel. Francisco Cabral Peixoto, e com a assistência espiritual de Dom Mamede Silva Leite, Bispo de Sebaste e Laudicéa. 

Era filha de José Francisco Herdy e de Catarina Boer Herdy, que com seus parentes das famílias Lemgruber, Monerath, Lutherback e Kroff, foram os primeiros colonizadores de Friburgo.

Casou-se com Antônio Joaquim Alves, homem probo, caráter impoluto e chefe de família exemplar, nascendo desse casamento os filhos: Idalina; Antonietta; Isabel; Olivia, casada com o Cel. Francisco Cabral Peixoto, industrial e proprietário do Hotel Avenida no Rio de Janeiro; Cel. Abílio Herdy Alves, casado com Adelaide Pimenta Alves, industrial no Rio de Janeiro; Maria José, esposa de M. J. Carneiro Junior, do comércio carioca; Cap. Alberto Herdy Alves, casado com Olga Magalhães Machado Herdy, proprietário sócio do Rio Hotel e Hotel Vera Cruz; Adolcina, casada com Dr. Leopoldo Duque Estrada, Juiz de Direito no Distrito Federal; Anna Cândida, casada com Raphael Gonçalves, comerciante no Rio de Janeiro.

Pertencia a diversas associações religiosas, era irmã da V. O. Terceira dos Meninos de São Francisco de Paula, Aia da N. S. das Dores da Igreja Candelária, Irmã de Santa Izabel, Irmã do Hospital São Salvador, Irmã Zeladora do Sagrado Coração de Jesus de Além Paraíba, Irmã do Santo Sepulcro (Jerusalém), Irmã do Santíssimo Sacramento de Além Paraíba, Protetora do Asilo Ana Carneiro...

Com o seu falecimento o seu corpo foi levado para a Igreja de São Francisco de Paula, onde se rezou oficio fúnebre, sendo dado à sepultura em jazigo perpétuo, no cemitério de Catumby, com grande acompanhamento e belíssimas coroas com carinhosas dedicatórias.  


Fonte: Almanack Para 1936 do município de Além Parahyba

Nenhum comentário:

Postar um comentário