sexta-feira, 20 de junho de 2014

PEDRO AFFONSO GALVÃO DE SÃO MARTINHO – O SARGENTO-MOR QUE FUNDOU ALÉM PARAÍBA

Por Mauro Luz Senra Fernandes





Pedro Affonso Galvão de São Martinho, nascido em 24 de abril de 1741, batizado no dia 15 de maio do mesmo ano, na Igreja de Nossa Senhora da Expectação, no Conselho de Campo Maior, na região de Alentejo – Portugal.

Era filho de Vasco Sardinha Galvão e Clara Maria de Sá e neto paterno de Pedro Antonio Galvão e Joana Mexia Galvão.

 Seu bisavô Vasco Sardinha Galvão e sua bisavó Maria Couto, nascida em 1634 em Campo Maior, foram presos nos cárceres da inquisição de Évia, acusados de judaísmo e heresia, por ter quarto sangue de “cristãos-novos” (designação dada em Portugal e no Brasil a um judeu convertido ao cristianismo).

São Martinho ocupava o posto de alferes em Campo Maior e pertencia ao Regimento do Alentejo, quando veio transferido para o Brasil em 1775 acompanhando o governador Dom Antonio de Noronha para Vila Rica. Com a criação do Regimento de Dragões, foi promovido ao posto de Sargento-Mor.

Em 1776, casou-se em primeiro matrimônio com Maria Agostinha Manso da Costa Reis, e em segundo, com Francisca Theodora de Oliveira Maciel. Deixou quatro filhos com sua primeira esposa e nenhum com a segunda.

Viveu em Vila Rica, por ocasião da Inconfidência Mineira. Como Sargento-Mor do Regimento de Cavalaria executou a ordem de prisão contra o inconfidente Claudio Manoel da Costa.

Foi um protegido do Governador de Minas Dom Luiz da Cunha Menezes – “Fanfarão Minésio”, e em homenagem a ele deu o nome de Porto Novo do Cunha à povoação que fundou as margens do Rio Paraíba do Sul, hoje Além Paraíba.

Em fins de 1784, a mando do governador da Capitania de Minas Gerais, iniciou o patrulhamento do Rio Paraíba do Sul e seus afluentes na região limítrofe entre as Capitanias de Minas Gerais e do Rio de Janeiro, com o objetivo de fazer o reconhecimento e com finalidade de combater principalmente o contrabando de ouro nas terras dos “Sertões do Leste”. Em fins de 1786, foi iniciada a segunda diligência para prender o famoso contrabandista “Mão de Luva” e seus seguidores em Descoberto do Macuco.

O episodio da prisão do contrabandista “Mão de Luva”, onde São Martinho e Tiradentes estiveram juntos em missão. Pedro Affonso, Sargento Mor, comandava o destacamento e Tiradentes, ainda Alferes Joaquim José da Silva Xavier, foi encarregado de fazer as medições topográficas. Nessa época, fundou diversos registros na margem esquerda do Rio Paraíba do Sul, na então capitania de Minas Gerais, sendo o mais conhecido deles o de Porto Novo do Cunha, que deu origem a cidade de Além Paraíba.

Nenhum comentário:

Postar um comentário